Modelo √°gil de gest√£o de projetos da Capyba

As metodologias ágeis têm promovido melhorias em vários aspectos na tecnologia com foco especial no desenvolvimento de software. Para um desenvolvimento mais eficiente e direcionado, torna-se essencial a adoção de técnicas extraídas dos guias e modelos de gestão de projetos. Além disso, é possível implementar práticas estratégicas que podem ser utilizadas, baseadas e até adaptadas por meio da combinação com métodos ágeis.

Gest√£o de Projetos Capyba

O ciclo de vida de um projeto na Capyba tem como base inicial os direcionamentos descritos no guia PMBOK (Project Management Body of Knowledge) que fornece um conjunto de práticas para estruturação de projetos dispondo de diretrizes aplicáveis e mensuráveis de acordo com a natureza de cada um. Além do PMBOK, são adotados métodos e metodologias ágeis que auxiliam os projetos a serem desenvolvidos com índices de retornos de evolução mais frequentes, planejamentos realizados de forma iterativa e incremental e maior eficiência na execução.

O diferencial em rela√ß√£o a uni√£o de tais pr√°ticas dar-se ao fato de que as fases de um projeto podem executar processos din√Ęmicos, onde cada fase definida no ciclo de vida do mesmo pode exercer pap√©is operacionais no desenvolvimento do produto, desvinculando a percep√ß√£o de um modelo tradicional, que conta com fases de formaliza√ß√£o, processos mais burocr√°ticos e documenta√ß√Ķes mais extensas, limitando o espa√ßo de opera√ß√£o apenas √† fase de execu√ß√£o.

Em conjunto com todas as defini√ß√Ķes para desenvolvimento de um projeto, √© v√°lido ressaltar o uso na ferramenta de gest√£o oficial da Capyba, o JIRA, uma ferramenta completa de gerenciamento √°gil de projetos, que fornece suporte a metodologias como o Scrum e o Kanban, al√©m de dispor de gera√ß√£o de relat√≥rios detalhados sobre os acontecimentos de cada Sprint.

Abaixo, no macroprocesso do ciclo de vida do projeto, as fases estão adaptadas com base no guia PMBOK, porém a cada desmembramento dos subprocessos, uma camada de operação do projeto é executada, dividindo assim a carga da fase de execução do mesmo.

Fase de Iniciação

Na Capyba, a fase de inicia√ß√£o do projeto foca em estruturar as informa√ß√Ķes e expectativas, analisar vertentes do produto e materializar a solu√ß√£o, para assim selecionar os recursos adequados para o desenvolvimento e promover a integra√ß√£o do cliente com o time, onde o mesmo poder√° apresentar suas ideias e defini√ß√Ķes do neg√≥cio do projeto. Esta fase divide-se em dois momentos principais, que s√£o: concep√ß√£o do produto e Kick Off do projeto.

A concep√ß√£o do produto (conforme conversamos anteriormente aqui e aqui) re√ļne an√°lises externas, coleta de expectativas e aplica√ß√£o de conceitos e boas pr√°ticas relacionadas a usabilidade, garantindo assim que a solu√ß√£o ser√° explorada da forma mais assertiva a necessidade do cliente.

O Kick-off do projeto acontece por meio de eventos complementares e simult√Ęneos que s√£o focados nas defini√ß√Ķes de gerenciamento do projeto e integra√ß√£o do time de opera√ß√£o.

Fase de Planejamento

Conforme mencionado, todas as fases do projeto possuem uma distribui√ß√£o operativa que colabora com a divis√£o de carga das atividades. Na fase de planejamento, posterior a uma fase de defini√ß√Ķes e primeiras decis√Ķes gerenciais, s√£o focados os pontos de:

  • Defini√ß√£o de arquitetura do projeto;
  • Planejamento e estrat√©gias de gerenciamento de riscos;
  • Defini√ß√£o de estrutura das atividades;
  • Organiza√ß√£o das Sprints.

Fase de Execução e Inspeção

Na fase de execução e inspeção são operadas várias atividades em paralelo ao desenvolvimento do produto final, porém essas atividades estão conectadas ao êxito do projeto, sendo estruturantes para o seu avanço. Mas que atividades são essas?

Muitos pensam que por se tratar de projetos voltados ao desenvolvimento de software a fase de execu√ß√£o est√° voltada apenas codifica√ß√£o do produto. Por√©m, o processo de execu√ß√£o da Capyba conta com um processo simult√Ęneo de inspe√ß√£o de resultados do projeto, al√©m de focar no contato frequente com o cliente e integra√ß√£o cont√≠nua com o time.

A codificação dos módulos do produto está atrelada às práticas de code review, onde todos os módulos que são desenvolvidos passam por uma aprovação para verificar se os mesmos estão livres de vulnerabilidades. Esta boa prática colabora diretamente com o aumento de produtividade e divisão da carga de trabalho entre os desenvolvedores, além do compartilhamento de conhecimento.

As inspe√ß√Ķes de qualidade nos m√≥dulos desenvolvidos classificam-se em: valida√ß√£o de design e valida√ß√£o de funcionalidades. A valida√ß√£o do design conta com uma an√°lise criteriosa de compara√ß√£o entre o prot√≥tipo e o produto, e a valida√ß√£o de funcionalidades conta com a realiza√ß√£o de testes funcionais e o gerenciamento de controle dos mesmos. Para gerenciamento dos testes, contamos com a ferramenta Confluence, que est√° atrelada ao JIRA e possibilita criar documenta√ß√Ķes colaborativas e enxutas.

Fase de Encerramento

E por fim, na fase de encerramento, s√£o realizadas as valida√ß√Ķes finais e verifica√ß√£o da rela√ß√£o entre a expectativa do cliente e o produto entregue, onde s√£o coletados todos os feedbacks detalhados e gerais, para caso necess√°rio a realiza√ß√£o de √ļltimas tratativas.

Esta fase conta eventos de fechamento de ciclo, porém com abertura para eventos de operação em caso de necessidade, possibilitando assim que o processo atenda aos segmentos definidos para a divisão de carga da fase de execução. Sendo esta uma medida estratégica que deverá ser usada como contingência.

De acordo com o ciclo de vida do projeto descrito, é possível observar que não existe modelo de gerenciamento de projetos estático e totalmente fiel a um guia ou framework por exemplo. O modelo de gestão ágil da Capyba busca atrelar as práticas que mais se destacam, adequando-as ao processo da empresa de modo que seja possível incrementar e/ou atualizar sempre que houver necessidade e espaço. Dessa forma, conseguimos unir ao processo um ciclo de melhoria contínua focado em inovação, objetividade e execução ágil de demandas de maneira projetizada, abrindo espaço para o incentivo à colaboração no que diz respeito ao modelo de execução de um projeto.

Ficou com alguma d√ļvida ou quer saber um pouco mais sobre como a gente chegou no modelo atual de gerenciamento e conferir como isso impacta nos nossos projetos? Comenta a√≠ embaixo ou manda um direct pra gente nas nossas redes sociais ;)

‚Äć